Quem sou eu

Minha foto
Alguém que ama a vida e odeia as injustiças

27 junho, 2009


Gustave Klimt "Sea Serpents I,II"


.Poema Melancólico a não sei que Mulher

Dei-te os dias, as horas e os minutos
Destes anos de vida que passaram;
Nos meus versos ficaram
Imagens que são máscaras anónimas
Do teu rosto proibido;
A fome insatisfeita que senti
Era de ti,
Fome do instinto que não foi ouvido.

Agora retrocedo, leio os versos,
Conto as desilusões no rol do coração,
Recordo o pesadelo dos desejos,
Olho o deserto humano desolado,
E pergunto porquê, por que razão
Nas dunas do teu peito o vento passa
Sem tropeçar na graça
Do mais leve sinal da minha mão...

Miguel Torga, in 'Diário VII'
.








Posted by Picasa

6 comentários:

Gravepisser disse...

Grandes gostos, para não variar.

Speechless, once again.

Um beijo.

tiaselma.com disse...

Ah, poeta, tivesse sido eu essa mulher... Não haveria máscara anônima nem rosto proibido, garanto-lhe... Mas também não teria havido esta sua fantástica poesia...

Um beijo na Mateso querida pelo bom gosto da escolha.

gabriela rocha martins disse...

escolhas sempre mais do que perfeitas


que mais dizer?



.
um beijo

~pi disse...

sou-me em torga

( mais que d)entro,





~

Laura disse...

Que bonito... deu-me vontade de forrar as paredes de casa com estas imagens...

Miosotis disse...

Miguel Torga, uma faceta mais intimista da sua poesia!

Um beijo,