Quem sou eu

Minha foto
Alguém que ama a vida e odeia as injustiças

27 junho, 2009

"Mãe Negra" Salazar by ARTExplorer.


Lágrima de Preta
Encontrei uma preta
que estava a chorar,
pedi lhe uma lágrima
para a analisar.

Recolhi a lágrima
com todo o cuidado
num tubo de ensaio
bem esterilizado.

Olhei a de um lado,
do outro e de frente:
tinha um ar de gota
muito transparente.

Mandei vir os ácidos,
as bases e os sais,
as drogas usadas
em casos que tais.

Ensaiei a frio,
experimentei ao lume,
de todas as vezes
deu me o que é costume:

nem sinais de negro,
nem vestígios de ódio.
Água (quase tudo)
e cloreto de Sódio.



António Gedeão










6 comentários:

Maria disse...

Tão belo, tudo
que
apetece ficar
e cantar
e ficar.......

Mena G disse...

Um deslumbre. De poema. De imagem. Da tua sensibilidade ao juntar tudo isso nesta postagem.

tiaselma.com disse...

Que maravilha a última estrofe! Tão verdadeira... Tristeza mar afora...
Adorei, Mateso!

Beijocas, querida.

Ana Paula disse...

António Gedeão é, sem dúvida, um dos meus poetas preferidos. E este poema é realmente magnífico. Nunca consegue cansar-me.

Há um prémio Lemniscata para ti, no Fio de Ariadne. Que premeia a tua escrita sempre tão rica e cuidada.

Um beijo :)

P.S. - Não estou esquecida do desafio que me fizeste. Mas o trabalho tem sido tanto... Pouco tempo para pensar... Mas dar-lhe-ei resposta!

Teresa Durães disse...

gosto muito deste poema

gabriela rocha martins disse...

já sei que me vais dizer ... não tenho tempo ... tudo bem .aceito! ,
mas

apesar o "estrondo" de poema que seleccionaste

para quando um novo texto teu?
( mas ,por favor ,quando o escreveres ,publica.o de modo a que não haja confusões de leituras ,prometes?
fico à espera )


.
um beijo