Quem sou eu

Minha foto
Alguém que ama a vida e odeia as injustiças

17 março, 2009




.
.Uma Voz Na Pedra


Não sei se respondo ou se pergunto.
Sou uma voz que nasceu na penumbra do vazio.
Estou um pouco ébria e estou crescendo numa pedra.
Não tenho a sabedoria do mel ou a do vinho.
De súbito ergo-me como uma torre de sombra fulgurante.
A minha ebriedade é a da sede e a da chama.
Com esta pequena centelha quero incendiar o silêncio.
O que eu amo não sei. Amo em total abandono.
Sinto a minha boca dentro das árvores e de uma oculta nascente.
Indecisa e ardente, algo ainda não é flor em mim.
Não estou perdida, estou entre o vento e o olvido.
Quero conhecer a minha nudez e ser o azul da presença.
Não sou a destruição cega nem a esperança impossível.
Sou alguém que espera ser aberto por uma palavra.

António Ramos Rosa
Posted by Picasa

12 comentários:

Labouré Lima disse...

Mateso querida, sempre postando boas coisas, para encantar seus visitantes... O António Ramos Rosa está de parabéns! Gostei tanto que quase cheguei ao ponto de escutar "Uma voz da pedra"... Confesso que terminei minha leitura, um tanto chamuscada pelas centelhas poéticas. Diria, inclusive, que elas incendiaram o meu silêncio. Obrigada por esse delicioso instante de prosa. Beijinhos.

Maria P. disse...

António Ramos Rosa é diferente, gosto das suas palavras.

E do teu gosto.
Beijinho*

as velas ardem ate ao fim disse...

Não ha nada como as palavras!

bjo

Mar Arável disse...

Boa memória

sempre renascida

bjs

tiaselma.com disse...

Fazer poesia é voar fora das asas, segundo o poeta Manoel de Barros.
O Antonio já está voando...

Ma-ra-vi-lha!!!

Beijos em Mateso. Grata, Antonio.

Teresa Durães disse...

Gostei deste poema de António Ramos Rosa

~pi disse...

in-comentável





beijo




~

alice disse...

este é um daqueles poemas que sabe bem reler ao longo da vida, por quanto tem sentidos que nos dão sentido :) um grande beijinho, mateso. e obrigada pelo que escreveu n'a tradução.

Branca disse...

Lindo poema e lindo blog!

Bom fim de semana pra vc!

R disse...

É com palavras destas que começamos a acreditar que as palavras têm realmente um poder extraordinário.

gabriela rocha martins disse...

a certeza do mestre
a in certeza do poeta


.
um beijo

ellen disse...

Que coisa gira!!! :)))
António Ramos Rosa é irmão de um amigo que foi meu vizinho em Moçambique!!! encontrar aqui obra dele é super interessante :)

Bjinho