Quem sou eu

Minha foto
Alguém que ama a vida e odeia as injustiças

31 janeiro, 2010

[387897_27.jpg]

Sal da Língua


Escuta, escuta: tenho ainda

Não é importante, eu sei, não vai

salvar o mundo, não mudará

a vida de ninguém - mas quem

é hoje capaz de salvar o mundo

ou apenas mudar o sentido

da vida de alguém?

Escuta-me, não te demoro.

É coisa pouca, como a chuvinha

que vem vindo devagar.

São três, quatro palavras, pouco

mais. Palavras que te quero confiar,

para que não se extinga o seu lume,

o seu lume breve.

Palavras que muito amei,

que talvez ame ainda.

Elas são a casa, o sal da língua.

Eugénio de Andrade
.

5 comentários:

tiaselma.com disse...

Palavras redentoras merecem ser aguardadas. Sempre. E ainda há a poesia...

Beijocas querida.

Andrea disse...

Bellissimo Post...

as velas ardem ate ao fim disse...

Eugenio de Andrade é um balsamo para a alma.

um bjo

alice disse...

;) tenho um livrinho dele que gosto muito. um grande beijinho.

Carlos Pires disse...

O mundo provavelmente não é o género de coisa que possa ser salva, mas poemas como este se não salvam a vida de uma pessoa podem pelo menos torná-la melhor.