Quem sou eu

Minha foto
Alguém que ama a vida e odeia as injustiças

19 fevereiro, 2009




Porque os outros se mascaram mas tu não

Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão.
Porque os outros têm medo mas tu não.
Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.

Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.

Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.

Sophia de Mello Breyner Andresen
.
Posted by Picasa

11 comentários:

Paula Raposo disse...

E é verdade. Sophia e a sua excelente poesia. Beijos.

Maria disse...

Lindo!

obrigada, abraço

alice disse...

um poema absolutamente eterno que tem na sua voz singular a nossa voz plural. a sublimeza em poesia. um dos meus favoritos de sempre. obrigada e um beijinho.

Vasco Matos disse...

Há sempre aquele dia em que, pontualmente, e de uma forma ou de outra, mesmo que não nos vendamos, nos traímos e àquilo em que acreditamos. Possam tais momentos lembrar-nos de que "os gestos dão sempre dividendo". Um grande beijo!

gabriela rocha martins disse...

absolutamente única esta senhora
POETA

*********

curiosa mente ,mesmo em miúda ,nunca gostei de me mascarar

e

exceptuando as de Veneza ( mas esse mundo é à parte ) sempre odiei máscaras



.
um beijo

as velas ardem ate ao fim disse...

Sophia faz me sempre chorar..
um bjo

Mar Arável disse...

Sophia

sempre oportuna

mesmo em véspera de carnaval

Maria P. disse...

Um dos meus preferidos.

Beijinho*

pin gente disse...

muito belo!
um beijo

Mena G disse...

Um dos poemas que mais gosto de Sophia; obrigada por a reler senão, já me esquecia.
;)

Miosotis disse...

Sophia tem uma intensidade que não dá margem para dúvidas!

Vim aqui há algum tempo. Ando 'arredia' mas não esqueço...

Um beijo