Quem sou eu

Minha foto
Alguém que ama a vida e odeia as injustiças

11 dezembro, 2007

Enya - Natal 2006 - Amarantine Special Christmas Edition


Poema de Natal

Vinicius de Moraes


Para isso fomos feitos:
Para lembrar e ser lembrados
Para chorar e fazer chorar
Para enterrar os nossos mortos —
Por isso temos braços longos para os adeuses
Mãos para colher o que foi dado
Dedos para cavar a terra.
Assim será nossa vida:
Uma tarde sempre a esquecer
Uma estrela a se apagar na treva
Um caminho entre dois túmulos —
Por isso precisamos velar
Falar baixo, pisar leve, ver
A noite dormir em silêncio.
Não há muito o que dizer:
Uma canção sobre um berço
Um verso, talvez de amor
Uma prece por quem se vai —
Mas que essa hora não esqueça
E por ela os nossos corações
Se deixem, graves e simples.
Pois para isso fomos feitos:
Para a esperança no milagre
Para a participação da poesia
Para ver a face da morte —
De repente nunca mais esperaremos...
Hoje a noite é jovem; da morte, apenas

Nascemos, imensamente.



14 comentários:

C Valente disse...

Boa noite com este belo poema
Saudações amigas

C Valente disse...

Boa noite com este belo poema
Saudações amigas

C Valente disse...

Belo poema, boa noite e saudações amigas

carteiro disse...

Gosto muito de Enya... É pacífico ouvir aqueles sons.
Fomos feitos para viver, para encontrar um sentido e para desfrutar o suficiente dele...

un dress disse...

nascemos.

imensamente

gloriosamente

capazes de perfurar

as trevas mais densas

de esperar todos os milagres





.beijO :)

gabriela r martins disse...

e assim vamos

em poesia

celebrando

o ( quê? )

pergunta tola!

O NATAL

.
.

beijinhos ,miúda!

gasolina disse...

Gosto destas palavras de renascer.
A participação da poesia, a comunhão do belo.

Um beijo

rato do campo disse...

Excelentes escolhas para assinalr uma quadra cada vez mais vazia do que deveria ser(-se) e mais cheia do que se deve comprar...

addiragram disse...

Celebramos a alegria de gostarmos de
viver com os outros...com tudo o que isso implica!
Um beijo amigo.

Mário Margaride disse...

Belo este poema, de Vinicios de Moraes.

Boa semana!

Beijinhos

gabriela r martins disse...

tenho saudades
das palavras

por isso

deixo.te

.

um beijo

Mar Arável disse...

Nascemos


e desnascemos


imensamente


O futuro é o instante que segue


bjs

Shelyak disse...

Merci por este bocadinho...
Beijinho para ti:)

Gi disse...

viver tudo, sentir tudo

imensamente ...

sem ser assim, nada faz sentido.

mas isso eu sei que tu sabes :)

Um beijo muitoooooooooo grande,