Quem sou eu

Minha foto
Alguém que ama a vida e odeia as injustiças

18 novembro, 2007


Nascer

Grito lançado em espanto

Punhos cerrados em luta,

Esticar e encolher de pernas,

Piscar de olhos inchados,

Pálpebras enrugadas e vermelhas,

Cabelos colados,

Nu em si mas vestido de vida,

Nascer.

Sémen frutificado de um momento,

Fruto macio a madurar,

Em matriz quente e doce de fêmea,

Suspiro prolongado de prazer contente,

Ai de ternura escapado,

Sorriso de gente a espreitar.

Ser.

Nascer e ser …

Maçã verde de labuta trincada,

Romã de bagas doces em beijo dado

Talismã de um amor sonhado

Fruto maduro no ramo já dobrado,

Meu filho, meu ventre, meu amor

15 comentários:

gabriela r martins disse...

leio.te
ouço

e saio

devagar .muito devagar

( mas antes deixo.te um imenso beijo e um abraço .parabéns ... mãe )

e mais não digo

( retiro.me )

CNS disse...

Lindo. Apenas. Há coisas que só se aplaudem em silêncio.

um beijo.

as velas ardem ate ao fim disse...

E agora quem me cala o resto da tarde??!!

bjo

Mar Arável disse...

Um dia seremos crianças

para amar se possível ainda mais os nossos filhos

e ainda se possível aceitarmos que eles nos digam como caminhar

com outros passos

o nossos caminho

bjs

un dress disse...

ai...

terna a face pequena

redonda transparente

ai

quem me dera romã

verde vermelha maçã

gomo doce

incandescente......................




lindO! :)

beijO

Vieira Calado disse...

O problema está está em saber se o homem, à partida, é um animal democrático.

Andreia Ferreira disse...

Também me vou calada, embalada pela beleza do que escreves...

Um beijo!

Gi disse...

Não é Catarina. É Mateso e o sabor a maça... Doce este teu parto, doce também o embalo do Zeca. São bagas de amor que aqui se comem ás colheradas.

Perfeito. Adorei este bocadinho.

beijinhos

carteiro disse...

palavras de embalar. ao ritmo de uma respiração quase tão calma quanto o silêncio...

Shelyak disse...

Muito lindo poema...música daquelas que não se esquece nunca...
Beijinho que te deixo!

Flávia Vida disse...

... fruto doce e eterno de uma árvore frondosa.
nascer...
morrer ...
em um amor desmedido
IMENSO como a árvore que o fez brotar ...

muito, muito, muito lindo. suas palavras, a música ao fundo ...

beijos molhados das lágrimas que caem dos meus olhos agora

:***

C Valente disse...

Adorei, lindo poema com vida
Sauda�es amigas

Abssinto disse...

Sémen frutificado de um momento.

Forte.

bj

Calimera disse...

E Há coisa mais bela que um filho?
E Há momento mais belo que o sentir no ventre?

Hummm deliciada com a poesia, com as músicas.
Beijinho

Mateso disse...

Estas simples palavras dedico-as ao meu filho no seu vigésimo terceiro aniversário.
Grata pela vossa partilha1
Um beijo.