Quem sou eu

Minha foto
Alguém que ama a vida e odeia as injustiças

15 julho, 2007

The Red Violin


No século XVIII, um artesão italiano constrói violino perfeito, para homenagear sua esposa, prestes a ter um filho. Mas a esposa e o filho morrem no parto. O violino é concluído e, ao longo dos próximos 300 anos, passa de mão em mão, de continente para continente, produzindo belos sons, mas sempre acompanhado por uma misteriosa sina

som de violino....

Hoje
horas claras
e sorrisos
campos floridos
som de violino
a palavra, as cores
poesia
no mais pleno infinito
estrelas e sol
lua no azul mais bonito
sem danos
ao que parece natural
beleza na arte surreal
como jamais vi
hoje
nada que se faça mortal
pode agradir o tempo
hoje somos chuva e vento
correnteza
na síntese
a singular força
da natureza

Chintia de Souza KaneyiC

7 comentários:

C Valente disse...

Um violino, um drama,o som intemporal é a musica
Saudações

Mário Margaride disse...

Olá,

Adoro o som do Violino!

Principalmente num dos temas mais extraordinários da música clássica, "o BOLERO" de Ravel. Para mim, o um tema imortal!

Beijinhos

Grey Moon Wolf disse...

Se conseguissemos ouvir o pranto da alma, seria como ouvir o sim de um violino...

un dress disse...

hoje: da imortalidade...então...!!





beijo

Gi disse...

Sou mais um elo dessa correnteza. Encontrei aqui o som e as palavras que me faltavam.

Beijinhos. Bom dia e boa semana.

Mateso disse...

C valente,
Sensibilizada pela tua visita e palavras. A música... o violino o som da alma.
Bj.

Mário Margaride,
Um dia destes faço-te a vontade. Até lá ,
Um beijo.

Gi,
Sempre generosa...
Folgo que gostes.
Um bjinho.




Grey moon wolf,
I fully agree with you.
Hugs.

Un-dress,
Porque somos mortais.!
Bjinho

incs disse...

um dos filmes mais fantásticos de sempre... é que há coisas escritas e ditas em sangue...